Acesso ao e-CAC agora é via Portal Gov.BR

Acesso ao e-CAC agora é via Portal Gov.BR

Posted on 31ago

A Receita Federal informa que o acesso direto ao Portal e-cac por certificado digital ou em nuvem ficará disponível somente até 31/08/2020. A partir de 1º de setembro, o acesso se dará somente via Acesso Gov.Br ou via Código de Acesso (que contará com novo período de transição para ser descontinuado). Dessa forma, os acessos por meio do certificado digital necessitarão de conta no Portal Gov.br e atribuição do respectivo selo de confiabilidade.

Desde o dia 2 de julho de 2020 é possível acessar o Portal e-CAC através do Acesso Gov.Br. Essa implantação é mais uma ação integrada realizada para ampliar o atendimento virtual da Receita Federal, com a expansão dos serviços digitais e o acesso desses serviços a um número cada vez maior de contribuintes.

Com o acesso Gov.Br, cidadãos que não possuem certificado digital, ou que não estão obrigados à Declaração do Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (condição necessária para emissão de código de acesso), também poderão acessar o Portal e-CAC, universalizando assim o acesso aos serviços virtuais da Receita Federal.

Novos avanços e novas entregas já estão planejadas para o Portal e-CAC, a fim de que outros serviços virtuais da RFB sejam agregados ao Portal, bem como a expansão da carta de serviços virtuais para contribuintes que antes não conseguiam acessar ao Portal, garantidos, sempre, os níveis de segurança jurídica e da informação.

Sobre o Acesso Gov.Br
O Acesso Gov.Br é um meio de acesso digital do usuário aos serviços públicos digitais, que garante a identificação de cada cidadão que acessa os serviços digitais do governo. Oferece um ambiente de autenticação digital único do usuário aos serviços públicos digitais, ou seja, com um único usuário e senha você poderá utilizar todos os serviços públicos digitais que estejam integrados com a plataforma de login. Fornece um nível de segurança compatível com o grau de exigência, natureza e criticidade dos dados e das informações pertinentes ao serviço público solicitado.

Fonte: Receita Federal


Como a pandemia colocou a tecnologia no centro dos negócios

Posted on 28ago

Talita Camargos

A pandemia fez todo mundo ficar imóvel e acelerou a revolução digital ao mesmo tempo. Graças à tecnologia, as empresas continuaram a girar e até descobriram novas possibilidades. Algumas inclusive, vão permanecer depois da crise. 

A evolução, segundo os especialistas, é de dez anos em um, pois não restou outra alternativa. O filósofo e historiador Leandro Karnal ainda afirma que guerras, revoluções e pandemias mudam o curso da história, aceleram mudança. 

Ainda não há como saber como será o mundo após a crise desencadeada pelo Novo Coronavírus, mas já temos certeza que nada será como antes e de que a tecnologia será cada vez mais usada.  

É importante ressaltar que não se trata da utilização da tecnologia apenas, mas da mudança de comportamento que ela provoca. Ao adotá-la como regra, a cultura muda, os hábitos de consumo também e, veja só, suas possibilidades de crescimento corporativo. 

Por isso, neste artigo vamos mostrar o que é realidade e promete ser nosso futuro próximo graças à revolução digital. 

Home-office só é possível por causa da tecnologia 

Já parou para pensar que o teletrabalho seria inviável sem as ferramentas digitais? É certo que há atividades que exigem a presença do trabalhador, mas a maioria pode ser realizada à distância. 

O que proporciona isso são as videoconferências, programas de gestão digitais, tecnologia em nuvem, aplicativos de mensagens e muito mais. 

A experiência foi tão positiva que cerca de 30% das empresas devem continuar com o home-office após a crise da Covid-19. É o caso da startup Housi, de aluguel de imóveis, que será 100% remota mesmo no pós-pandemia. Já a Google concederá trabalho remoto para os 200 mil colaboradores até junho de 2021. 

Outras, terão um modelo híbrido: ou seja, com parte do trabalho realizado presencialmente e a outra remota. A XP Investimentos é um bom exemplo. A gigante está construindo a Vila XP, em São Roque, interior de São Paulo. 

Boa parte das salas em um bairro nobre da capital paulista foi entregue porque a XP entendeu que o colaborador podia trabalhador de onde se sentisse melhor. A unidade em São Roque terá como finalidade proporcionar experiência para o colaborador, tanto que a Vila XP se assemelha muito a um clube. 

Videoconferência em tudo: do entretenimento, ao ensino e lazer 

Quantas vezes você usou o Zoom ou o Skype desde o início da pandemia? O Zoom saltou de 10 milhões de usuários em dezembro de 2020 para 200 milhões em abril de 2020. Já o Skype, registrou aumento de 70% no cenário de isolamento social. 

Essas plataformas são apenas duas de diversas que estão sendo usadas durante a pandemia. A variedade de ferramentas corresponde à infinidade de usos. Além das reuniões familiares para um parabéns on-line, por exemplo, videoconferências também foram essenciais para setores como educação e entretenimento. 

Já assistiu alguma peça pela plataforma? As companhias de teatro adaptaram-se. A Sympla, líder brasileira na venda de ingressos, desenvolveu uma ferramenta integrada para shows, cursos on-line, peças e outros.   

Quando a pandemia acabar, com certeza o público voltará para as plateias tradicionais. No entanto, o uso das videoconferências vai ser mais uma possibilidade. Poderá, ainda, ser usada de maneira híbrida, com parte da programação presencial e a outra on-line ou, ainda, com transmissão simultânea. Assim, artistas, educadores e outros podem ampliar o alcance. 

Quanto às reuniões de trabalho, elas continuarão como aliadas e podem ajudar pequenas, médias e grandes empresas a chegarem mais longe com seus negócios. 

E-commerce 

As lojas virtuais já apresentavam tendência de crescimento antes da pandemia, mas o contexto, com lojas fechadas ou funcionamento parcial, fez o setor explodir. Um levantamento da Neotrust/Compre&Confie mostrou que um quarto das pessoas fez compras on-line pela primeira vez depois da pandemia. 

No segundo trimestre de 2020, o faturamento foi de 33 bilhões de reais, crescimento de 104% em relação ao mesmo período de 2019. 

Uma grande mudança aconteceu quanto aos produtos comprados em e-commerces também. 

O segmento de alimentos e bebidas registrou alta de 241%; itens de cama, mesa e banho, 236%; brinquedos, 211%; móveis, 174%; e eletroportáteis, 164%. 

“O brasileiro estava mais acostumado a comprar eletrônicos e eletrodomésticos pela internet. Agora vemos produtos de mais alto giro ganharem relevância”, disse André Dias, do Neotrust/Compre&Confie, ao site da Exame. 

Menos burocracia com ajuda da digitalização 

A tecnologia sempre teve potencial para facilitar os processos. No entanto, isso só aconteceu com as restrições para evitar o contágio pelo Novo Coronavírus. Um exemplo foi o Certificado Digital. Antes, havia necessidade de realizar um procedimento pessoalmente. Uma Medida Provisória (MP) permitiu que ele fosse validado por videoconferência em uma ampla gama de situações. No momento, a forma de validar o certificado está híbrida: em alguns casos, deve ser feita presencialmente e, em outras, on-line (apenas renovações do documento). 

No entanto, a previsão é de que a certificação digital volte a acontecer totalmente remota em breve. A Câmara dos Deputados e o Senado já votaram a Medida Provisória. Agora, a MP seguirá para a sanção presidencial.

O próprio Certificado Digital, implantado em 2001 no país, serve ao propósito de tornar os negócios menos burocráticos, mais ágeis e seguros. Isso porque é possível assinar contratos, por exemplo, de qualquer lugar do mundo, além de cumprir diversas obrigatoriedades exigidas pelo governo digitalmente com ele. 

O que aprendemos com essas mudanças é que a tecnologia deve ser uma aliada de agora em diante, mesmo quando tudo voltar ao que se chama de “novo normal”. Você já está preparado?


Novo leilão de eletrônicos da Receita: participe com seu certificado digital

Posted on 21ago

A Alfândega da Receita Federal do Brasil em Fortaleza realiza novo leilão eletrônico de mercadorias apreendidas.

No periodo de 24 de agosto a 8 de setembro os interessados poderão enviar suas propostas. O Edital da Alfândega de Fortaleza é o de número 317900/003/2020.

O leilão é eletrônico acontece no E-Cac e só podem participar pessoas físicas ou jurídicas portadoras de certificação digital.

Entre os produtos leiloados, destacam-se: barcos, fertilizantes, caminhões, celulares, perfumes, macbook, memória flash, maquinários. e outras mercadorias.

As mercadorias estão divididas em 127 lotes, que se encontram armazenados na Inspetoria do Aeroporto Pinto Martins, na Alfândega de Fortaleza, na Inspetoria do Porto de Pecém e na Inspetoria do Porto de São Luis. Os lotes podem ser visitados de 31/08 a 04/09/2020 , das 13:30 às 17:00h.

O leilão será realizado no dia 09 setembro às 10:00 horas e somente os interessados que tiverem apresentado previamente suas propostas participarão da Sessão de Lances.

A lista completa das mercadorias pode ser conferida no edital do leilão, que se encontra disponível para consulta no site da Receita Federal, http://receita.economia.gov.br, “Leilão”>Leilão Eletrônico.

Com informações da Receita Federal.


Assinatura Digital é aliada do mercado imobiliário

Posted on 13ago

Talita Camargos

Durante a pandemia, resolver situações mais urgentes e necessárias está mais difícil. Muitas pessoas estão em quarentena e evitando ao máximo sair de casa. A assinatura digital é uma alternativa para as imobiliárias. Além de ajudar a resguardar a saúde de clientes e funcionários, ela torna-se um mecanismo interessante em um cenário no qual muitas empresas estão funcionando com horários reduzidos, parte da equipe em home office ou até com o quadro de funcionários menor. 

É preciso lembrar que, antes mesmo da pandemia, era comum que os interessados em imóveis agendassem as visitas a distância, on-line, sem ir à imobiliária. Já há, no mercado, soluções digitais para visitas virtuais cada vez mais realistas. Ou seja, a digitalização é um caminho natural, e sem volta, do setor imobiliário.

A assinatura digital vem ao encontro a desse comportamento, que deve se intensificar mesmo com o fim da crise da Covid-19. A assinatura digital é uma aliada para agilizar negociações e oferecer uma experiência melhor com a sua imobiliária. 

Muitos clientes acreditam ser complicado conseguir realizar negócios por meio da assinatura digital. Por isso, os funcionários devem entender muito bem essa opção para passar segurança para eles. Neste artigo, iremos mostrar que a assinatura digital é até mais simples, menos burocrática e tem a mesma segurança do que a tradicional.

Assinatura Digital x Assinatura Física 

Uma dúvida que sempre fica no ar é se a assinatura digital realmente tem a mesma validade que a assinatura física. E a resposta é sim! Ambas possuem validade jurídica e a assinatura digital, no padrão ICP-Brasil, equivale a escrever seu nome à próprio punho. Basicamente, ela funciona como um meio eletrônico que garante autenticidade da identidade por meio de contratos ou documentos oficiais. Todo esse processo passa por uma verificação de informações digitais que vão garantir essa autenticidade. Essas informações comprovam se as assinaturas são verdadeiramente confiáveis. 

Existe uma legislação que respalda o uso das assinaturas digitais. É a Medida Provisória nº 2.200-2001, que institui a “Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras – ICP Brasil para garantir autenticidade, integridade e a validade jurídica de documentos em forma eletrônica, 

das aplicações de suporte e das aplicações habilitadas que utilizem certificados digitais, bem como a realização de transações eletrônicas seguras.”

Há também outra lei importante neste processo para tratar de assuntos que abrangem a autenticidade e a validação das assinaturas eletrônicas. É a Lei 11.419/2006. No artigo 1º, define que o uso de meio eletrônico na tramitação de processos judiciais, comunicação de atos e transmissão de peças processuais será admitido como expõe o inciso III: 

III – assinatura eletrônica as seguintes formas de identificação inequívoca do signatário:

a) assinatura digital baseada em certificado digital emitido por Autoridade Certificadora credenciada, na forma de lei específica;

Diante de tanta segurança que as leis e os serviços de confirmação de assinatura digital proporcionam, fica mais fácil de garantir ao cliente tudo que ele precisa fazer para que possa assinar um documento digitalmente, uma vez que não há nenhuma diferença em validação entre o instrumento eletrônico e a assinatura física. Ou seja, basta seguir o passo a passo do que fazer e resolver seus negócios imobiliários sem sair do lugar. 

Oriente seu cliente a ter um certificado digital

Para assinar um documento eletronicamente, é preciso ter um certificado digital. O processo de emissão é prático e tanto pessoas físicas quanto jurídicas podem fazê-lo. Se tiver dúvidas, é só entrar em contato com uma de nossas unidades.

E quando a pandemia passar?

Muitos corretores de imóveis estão, nitidamente, percebendo o papel importante da assinatura digital durante esta pandemia. É muito mais segura para todos, desde os funcionários até os clientes.

O certificado digital ainda viabiliza mais negociações. Um investidor que mora em outro país pode fechar o contrato com você de forma simples e segura, sem precisar de procuradores. A longo prazo, o investimento no certificado torna-se muito benéfico para o cliente, até economicamente. A agilidade garante que o dinheiro entre no caixa mais rapidamente também, já que pode ser assinado em minutos. 

Resolver negociações imobiliárias com praticidade, comodidade e segurança garante aos clientes uma confiança neste processo e também na própria imobiliária que se dispõe a realizar esses procedimentos de forma digital. Atualmente, comprar, vender ou alugar um imóvel é visto como difícil. Descomplicar é caminhar rumo ao futuro com sucesso.

E você, já usa a assinatura digital em sua imobiliária?


Como assinar um documento com certificado digital

Posted on 05ago

 Assinar um documento com certificado digital é rápido e fácil. Pessoas físicas e jurídicas podem poupar tempo ao usá-lo. Além disso, o recurso facilita o fechamento de negócios em qualquer parte do mundo. Afinal, você pode assinar um contrato de qualquer lugar que esteja desde que tenha um certificado digital. Assim, não precisa se deslocar nem contar com procuradores. Também pode resolver pendências que demandem assinaturas com poucos cliques. 

 É o que vamos mostrar neste artigo com tutoriais bem simples. 

Como assinar PDFs com certificado digital pelo Adobe Reader

Documentos importantes, na maioria das vezes, são no formato PDF para evitar que o destinatário faça alterações no texto. Para assinar contratos e outros documentos, você vai precisar do Adobe Reader DC.

Antes de efetivamente começar a assinar documentos em PDF com seu certificado digital, você precisa configurar o Adobe Reader DC.

Tutorial: configuração do Adobe Reader DC para assinatura com certificado digital

1. Clique em “Editar”.

2. Clique em “Preferências”.

3. Escolha a opção “Assinaturas”, depois clique em “Mais”, na opção de “Certificados confiáveis e de identidade”.

4. Selecione “Módulos e Tokens PKCS#11”.

5. Clique em “Adicionar módulos”.

6. Agora, podem acontecer duas situações:

a) Aparecer a janela “Modo protegido do Adobe Reader”. Neste caso, escolha “Sempre abrir com o modo protegido desabilitado” e clique em “Ok”. Depois, feche o Adobe.

b) O botão adicionar módulo pode estar desativado. Neste caso, siga o seguinte caminho: “Editar” > “Preferências” > “Segurança (avançada)” e desmarque opção “Permitir Modo protegido na inicialização”. Encerre o programa.

7.  Neste momento, você precisa copiar o caminho do modelo do seu Certificado aqui. Em seguida copie e cole no campo “Nome”. Clique em “Abrir”

Pronto, agora seu Adobe Reader DC está configurado para você assinar documentos em PDF.

O passo a passo para assinar PDFs com certificado digital é o seguinte:

1. Abra o documento que será assinado com o Adobe DC e clique em “Ferramentas”.

2. Clique em “Abrir”, abaixo de certificado, no ícone de caneta.

3. Selecione “Assinar digitalmente”.

4. Escolha o certificado digital que será usado. Se aparecerem dois iguais, ambos funcionam, mas prefira o primeiro da lista.

5. Clique em continuar, insira a senha do certificado e em seguida selecione “Assinar”.

6. Você vai perceber que há uma espécie de cruz, demarque o local da assinatura e solte.

7. Para concluir, salve o documento assinado com o nome que preferir. Atenção, o documento original permanece sem modificações.

Como assinar documentos no word com certificado digital

Não é tão comum que documentos importantes sejam enviados em Word. No entanto, acontece e também é possível assiná-los facilmente desta maneira. Para assinar documentos em Excel e Power point, você também pode seguir o passo a passo abaixo.

  1. Abra o arquivo, a função assinatura fica na parte inferior. 
  2. Clique em Informações.
  3. Clique em Proteger Documento.
  4. Clique em Adicionar uma Assinatura Digital. Escolha o tipo de compromisso de acordo com o contexto: “Criou e aprovou este documento”, “Aprovou este documento” ou “Criou este documento”. O campo objetivo é opcional.
  5. Clique em Assinar e digite o PIN.

Depois que o arquivo é assinado digitalmente, o botão Assinaturas é exibido e o arquivo se torna somente leitura para impedir modificações. Não é possível visualizar a assinatura, mas vai aparecer um ícone que mostra que o documento foi assinado eletronicamente. Ao clicar nele, você consegue ver as informações, em um painel à direita, quem é o signatário e detalhes sobre ele. Após esta validação com o certificado, o documento aparece como final.

É possível remover a assinatura, mas se ele for apresentado em um processo, por exemplo, não terá validade. É o documento assinado com o certificado que tem validade. Você pode usar esse recurso se releu o documento e discordou de algo. Assim, pode pedir que seja modificado antes de assiná-lo com o certificado.  

A assinatura escrita tem uma finalidade mais estética, já que é a que está no certificado digital que vai dar validade jurídica ao documento. No entanto, muitas pessoas gostam de adicioná-la para que fique mais próxima de um documento assinado manualmente. 

Docnuvem: uma solução para armazenar documentos importantes

Mais do que assinar os contratos com segurança jurídica, é fundamental arquivar os documentos com segurança. Atualmente, imprimir não é a melhor solução. Há questões ligadas à sustentabilidade, mas existe um ponto específico ligado ao certificado digital. Como ressaltamos neste artigo, a rubrica ou assinatura manuscrita digitalizada têm mais efeito estético do que jurídico, o que vale é o reconhecimento de que consta uma assinatura digital. Só é possível identificá-la no documento eletrônico. 

Por isso, é essencial que o PDF ou word seja armazenado com segurança. Uma solução para isso é o Docnuvem, no qual também é possível assinar documentos. O plano mais básico tem espaço para cerca de 2 mil contratos. Além de armazenar com toda segurança, o Docnuvem tem outras funções:

– Envio de arquivos e diretórios para a plataforma;

– Vinculação de tipos de documentos aos arquivos enviados;

– Gerenciamento de metadados para cada tipo de documento;

– Aplicação de checklist em arquivos e diretórios;

– Notificação de pendências no checklist;

– Gestão de permissão de acesso de usuários;

– Auditoria completa de todos os acessos realizados;


Como assinar um documento com certificado digital

Posted on 05ago

 Assinar um documento com certificado digital é rápido e fácil. Pessoas físicas e jurídicas podem poupar tempo ao usá-lo. Além disso, o recurso facilita o fechamento de negócios em qualquer parte do mundo. Afinal, você pode assinar um contrato de qualquer lugar que esteja desde que tenha um certificado digital. Assim, não precisa se deslocar nem contar com procuradores. Também pode resolver pendências que demandem assinaturas com poucos cliques. 

 É o que vamos mostrar neste artigo com tutoriais bem simples. 

Como assinar PDFs com certificado digital pelo Adobe Reader

Documentos importantes, na maioria das vezes, são no formato PDF para evitar que o destinatário faça alterações no texto. Para assinar contratos e outros documentos, você vai precisar do Adobe Reader DC.

Antes de efetivamente começar a assinar documentos em PDF com seu certificado digital, você precisa configurar o Adobe Reader DC.

Tutorial: configuração do Adobe Reader DC para assinatura com certificado digital

1. Clique em “Editar”.

2. Clique em “Preferências”.

3. Escolha a opção “Assinaturas”, depois clique em “Mais”, na opção de “Certificados confiáveis e de identidade”.

4. Selecione “Módulos e Tokens PKCS#11”.

5. Clique em “Adicionar módulos”.

6. Agora, podem acontecer duas situações:

a) Aparecer a janela “Modo protegido do Adobe Reader”. Neste caso, escolha “Sempre abrir com o modo protegido desabilitado” e clique em “Ok”. Depois, feche o Adobe.

b) O botão adicionar módulo pode estar desativado. Neste caso, siga o seguinte caminho: “Editar” > “Preferências” > “Segurança (avançada)” e desmarque opção “Permitir Modo protegido na inicialização”. Encerre o programa.

7.  Neste momento, você precisa copiar o caminho do modelo do seu Certificado aqui. Em seguida copie e cole no campo “Nome”. Clique em “Abrir”

Pronto, agora seu Adobe Reader DC está configurado para você assinar documentos em PDF.

O passo a passo para assinar PDFs com certificado digital é o seguinte:

1. Abra o documento que será assinado com o Adobe DC e clique em “Ferramentas”.

2. Clique em “Abrir”, abaixo de certificado, no ícone de caneta.

3. Selecione “Assinar digitalmente”.

4. Escolha o certificado digital que será usado. Se aparecerem dois iguais, ambos funcionam, mas prefira o primeiro da lista.

5. Clique em continuar, insira a senha do certificado e em seguida selecione “Assinar”.

6. Você vai perceber que há uma espécie de cruz, demarque o local da assinatura e solte.

7. Para concluir, salve o documento assinado com o nome que preferir. Atenção, o documento original permanece sem modificações.

Como assinar documentos no word com certificado digital

Não é tão comum que documentos importantes sejam enviados em Word. No entanto, acontece e também é possível assiná-los facilmente desta maneira. Para assinar documentos em Excel e Power point, você também pode seguir o passo a passo abaixo.

  1. Abra o arquivo, a função assinatura fica na parte inferior. 
  2. Clique em Informações.
  3. Clique em Proteger Documento.
  4. Clique em Adicionar uma Assinatura Digital. Escolha o tipo de compromisso de acordo com o contexto: “Criou e aprovou este documento”, “Aprovou este documento” ou “Criou este documento”. O campo objetivo é opcional.
  5. Clique em Assinar e digite o PIN.

Depois que o arquivo é assinado digitalmente, o botão Assinaturas é exibido e o arquivo se torna somente leitura para impedir modificações. Não é possível visualizar a assinatura, mas vai aparecer um ícone que mostra que o documento foi assinado eletronicamente. Ao clicar nele, você consegue ver as informações, em um painel à direita, quem é o signatário e detalhes sobre ele. Após esta validação com o certificado, o documento aparece como final.

É possível remover a assinatura, mas se ele for apresentado em um processo, por exemplo, não terá validade. É o documento assinado com o certificado que tem validade. Você pode usar esse recurso se releu o documento e discordou de algo. Assim, pode pedir que seja modificado antes de assiná-lo com o certificado.  

A assinatura escrita tem uma finalidade mais estética, já que é a que está no certificado digital que vai dar validade jurídica ao documento. No entanto, muitas pessoas gostam de adicioná-la para que fique mais próxima de um documento assinado manualmente. 

Docnuvem: uma solução para armazenar documentos importantes

Mais do que assinar os contratos com segurança jurídica, é fundamental arquivar os documentos com segurança. Atualmente, imprimir não é a melhor solução. Há questões ligadas à sustentabilidade, mas existe um ponto específico ligado ao certificado digital. Como ressaltamos neste artigo, a rubrica ou assinatura manuscrita digitalizada têm mais efeito estético do que jurídico, o que vale é o reconhecimento de que consta uma assinatura digital. Só é possível identificá-la no documento eletrônico. 

Por isso, é essencial que o PDF ou word seja armazenado com segurança. Uma solução para isso é o Docnuvem, no qual também é possível assinar documentos. O plano mais básico tem espaço para cerca de 2 mil contratos. Além de armazenar com toda segurança, o Docnuvem tem outras funções:

– Envio de arquivos e diretórios para a plataforma;

– Vinculação de tipos de documentos aos arquivos enviados;

– Gerenciamento de metadados para cada tipo de documento;

– Aplicação de checklist em arquivos e diretórios;

– Notificação de pendências no checklist;

– Gestão de permissão de acesso de usuários;

– Auditoria completa de todos os acessos realizados;

– Compartilhamento de arquivos via e-mail;

– Visualizador de PDF e documentos Office;

– Relatório de comprovação das assinaturas;

– Pesquisa avançada por tipo de documentos e metadados;

– Fluxo de assinatura digital de documentos com a Assinatura Digital (validade jurídica ICP-Brasil) e Eletrônica (MP 2.200-2/2001 – Artigo 10 § 2o).

Com essas funções, você consegue reduzir custos, agilizar os processos e realizar essa tarefa de onde quer que você esteja. São três planos, cada um para um tipo de necessidade.

Conte conosco para isso e tudo relacionado a certificado digital. Faça contato com nossa equipe!


Back to Top