Validador de prescrições e atestados médicos digitais garante segurança na relação médico, paciente e farmacêuticos

A rotina dos brasileiros está cada vez mais digitalizada. Ao toque de uma tela se abrem possibilidades diversas sem sair de casa. E é isso que o momento de isolamento social por causa do Coronavírus requer.

A consulta médica, por exemplo, agora pode ser online: o paciente de um lado da tela e o médico do outro em uma conversa reservada, conforme aprovado pela Lei nº 13.989/2020 e pela Portaria da Telemedicina, editada pelo Ministério da Saúde. Da mesma forma, a prescrição médica pode ser enviada em formato digital por e-mail e até por aplicativo de mensagem ao paciente, que, na sequência, encaminha o documento à farmácia para a compra do medicamento com o seu recebimento em casa.

A solução que permite a segurança neste processo já é realidade e está disponível gratuitamente à população. No site oficial Validador de Documentos Digitais é possível validar a assinatura digital de prescrições e de atestados médicos. A tecnologia dos certificados digitais no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil permite que médicos, pacientes e farmacêuticos mantenham o relacionamento de forma 100% online e com segurança no envio de documentos.

O portal de validação de documentos digitais é uma iniciativa do ITI, com apoio técnico dos Conselhos Federais de Medicina e de Farmácia, e tem a função de validar a receita em meio digital (formato PDF) quanto a sua autoria, se assinada por um médico habilitado, e se dispensada por um farmacêutico. Permite ainda verificar a integridade do documento assinado com certificado digital ICP-Brasil, ou seja, se ele não foi adulterado.

“O papel do ITI é o de prover soluções de segurança para atender cidadãos, empresas e governo. Neste momento, mais do que nunca, assumimos a responsabilidade para garantir transações essenciais à vida dos brasileiros a partir de uma tecnologia já consagrada pela sua segurança no mundo digital”, declara o diretor-presidente do Instituto, Marcelo Buz.

Ao consultar o site é garantida a privacidade dos dados, sendo que nenhuma informação do documento validado é armazenada pela aplicação ou repassada a terceiros. As informações processadas se destinam apenas à confirmação de quem assinou o documento e da habilitação do profissional junto ao respectivo conselho de classe.

Fonte: ITI




Débora Gontijo

O mundo, que já estava em transformação, viu-se obrigado a acelerar esse processo com a pandemia do coronavírus. Nesse cenário de instabilidade e incertezas, as empresas estão se reinventando e o líder deve ser o guia de todo este processo. É hora de encarar a realidade e fazer acontecer.

Não existe uma receita ou manual pronto para lidar com esta situação, mas o líder precisa compreender que será necessário lidar com a insegurança e a ansiedade (sua e de sua equipe) atuando como seu suporte emocional.

A seguir, algumas dicas que podem ajudar nesse processo:

  • Mantenha-se informado. Busque fontes de informações confiáveis, analise o cenário como um todo e as implicações no seu negócio e em sua área para ter mais assertividade nas tomadas de decisão. Cuidado ao expressar opiniões, pois você pode assustar a equipe ao invés de informar ou acalmar.
  • A palavra da vez é comunicação. Se ela já era importante, hoje tornou-se crucial. Invista tempo em reuniões de alinhamento com sua equipe. Principalmente se estiverem em home office. Comunique sobre as decisões e os posicionamentos da empresa. Esteja disponível para sua equipe tirar dúvidas ou expor suas dificuldades e ansiedades e certifique que está claro para eles. Seja autêntico na sua comunicação, não há problemas em dizer “não sei” quando não souber, pois o cenário é novo e incerto para todos. Assim, sua comunicação terá mais credibilidade.
  • É hora de exercitar a empatia e a liderança humanizada. Quanto mais distante fisicamente você estiver de sua equipe, mais presente você precisa estar para acolher, escutar e contribuir no que for preciso para que ela consiga ter performance mesmo diante das inseguranças e incertezas.
  • Não é hora de “delargar” e nem se afastar de sua equipe. Crie rotinas; defina, em conjunto com sua equipe, rituais para acompanhar seu desempenho e a ajude no que for preciso. Por exemplo, estabeleça reuniões periódicas (diárias ou semanais), relatórios e/ou entregas e projetos que precisam ser executados.
  • Cuide de si mesmo. Esteja bem consigo para poder liderar. Cuide de sua saúde emocional, reservando um tempo para si mesmo, crie momentos fora de sua rotina de trabalho para interações (mesmo que sejam virtuais) com família e amigos. Faça atividades que lhes são prazerosas, dentro do possível.
  • Diante de tudo isso, a conclusão é de que não há nada de novo em relação às atitudes esperadas pelo líder em relação ao mundo 4.0 em constante transformação, volátil, incerto, complexo e ambíguo. A pandemia nos “forçou” a desenvolvermos estas habilidades rapidamente para conseguir sobreviver ao caos.A expectativa é de todos aproveitem este momento como uma oportunidade para serem líderes mais abertos a mudanças, flexíveis, adaptáveis e, sobretudo, humanos.  Débora Gontijo é coordenadora de RH da AC Certificaminas.

Back to Top